02 outubro 2010

Naquele rio.
De agua Cristalina.
Breves correntes passam.
Ouve-se o som da água a bater nas rochas.
Um som calmo, no entanto.
Sentado aprecio aquela maravilha natural.
Fecho os olhos e sinto o cheiro da água.
Deixo que a natureza me entregue todo o seu esplendor.
A sua essência.
A minha cara fica salpicada.
Refrescando-a.
Não me incomoda.

Ao longe ouço passos.
Ficam cada vez mais próximos.
Não me mexo.
Vou-te deixar chegar perto.
Quando tiveres a meu lado não fales.
Não perturbes o equilíbrio da natureza.
Fecha os olhos e sente-a.
Da mesma forma que eu.
Num momento destes as palavras são dispensáveis.

A tua mão sob a minha mostra isso mesmo.
Não abri os olhos.
Não te vi.
Mas sei que és tu.
Sinto-te.
Tal como naquele momento faço com a natureza.
Faço contigo.
Sempre.


(Natureza)

Sem comentários:

Enviar um comentário

+ histórias