07 janeiro 2012

Agarro-te delicadamente. Puxo-te para mim com todo o cuidado. Como se te fosses partir contra o meu peito. Deixo pender a minha cabeça no teu ombro. Coloco a mão esquerda na tua nuca. Adoro percorrer as tuas curvas com as pontas dos dedos como tocaria as cordas de um violoncelo. São suaves e compassados os toques dos meus dedos em ti. São variados os sons que o teu corpo produz como se de uma orquestra se tratasse. Fecho os olhos e aprecio a agora acelerada melodia. Torna-se áspera, a tua pele, agora sim é nas cordas que toco. A mão direita move-se desenfreada para que a melodia não cesse. Desejando que o ponto alto da faixa se dê. O solo desejado. Os olhos continuam fechados mas tu, tu continuas na acelerada melodia, meu instrumento do amor. Continuas encostada a mim, inerte com medo que o mais subtil dos movimentos desafine uma nota. Chegou o tão desejado solo. O som era agora único, a nota era alta. Levantas suavemente os teus braços e envolves o meu tronco. Abraças-me como eu te abracei. Como, concentradamente abracei a melodia que tocavas.

10 comentários:

  1. Que texto tão rico nas palavras que aqui deixaste, nesta mistura de sentimentos e de um amor que escreves, na minha opinião, de uma forma bastante boa. Aproveito também para te desejar um grande 2012 cheio de sonhos e de lutas para chegares aquilo que queres. Quando às imagens retiro de uma página do Facebook que garanto que vais gostar. https://www.facebook.com/inspirationisbliss Abraço :)

    ResponderEliminar
  2. Um texto maravilhoso.
    Este abraço deve ser mais conhecido, mais estudado, mais vivo e de tempo ilimitado.
    Parabéns.
    Retribuo com outro abraço.

    ResponderEliminar
  3. á certas coisas que são difíceis de resolver. E mais uma vez o texto está lindo *

    ResponderEliminar
  4. Palavras que soam como música :)

    Gostei.

    ResponderEliminar
  5. Obrigada! Pois, mas às vezes é complicado devido à distância e às prioridades.

    ResponderEliminar
  6. A Internet ajuda mas não é tudo. Continua a ser diferente não estar com as pessoas no dia-a-dia.

    ResponderEliminar
  7. Sim, claro que é. E para mim, continuam a existir pessoas que nunca conheci pessoalmente aos quais dou muito mais valor que às pessoas com que me dou todos os dias.

    ResponderEliminar
  8. Sim, tens razão. Ao menos que a internet não sirva só para coisas más.

    ResponderEliminar
  9. sabes que isso dito assim até parece fácil ? (: mas não o é. Mas eu vou ter força, eu sei que sim. Obrigada. Já ajudas, todas as vezes que deixas as tuas palavras de conforto no meu blog *-*

    Beijo , bom fim-de-semana !

    ResponderEliminar

+ histórias